segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Parabéns Sérgio Godinho

Escreveu e cantou uma canção que diz algo como: «Só há liberdade a sério quando houver a paz, o pão, habitação, saúde, educação...»
Tinhas 29 anos, fazes hoje 70. Palavras sábias, mas que os poderosos continuam a esquecer. Parabéns e obrigado por nos lembrares certas coisas, por espalhares tão bem as notícias que verdadeiramente interessam, pelas tuas palavras tão simples, por nos lembrares que cada dia é o primeiro do resto das nossas vidas; pelo teu Casimiro, que tinha um nariz que parecia um radar - não se vendia nem com uma estátua lá no largo. Obrigado pela tua Feira da Ladra, pelo teu Namoro com todos nós, pelo trocadilho de pepino com destino, porque assim faz mais sentido. Não posso esquecer os teus jovens vizinhos do andar de cima, e tantas foram as coisas maravilhosas que nos trouxeste ao longo de tantos anos que um brilhozinho nos olhos por vezes pode dar maré alta.
Parabéns Sérgio.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Capa de Vítor Alves, o Homem, o Militar, o Político

Aqui vos deixo capa, contracapa e badanas (o plano) de Vítor Alves, o Homem, o Militar, o Político.
Tenho o grato prazer, porque é disso que verdadeiramente se trata, de informar os meus caríssimos leitores que esta preciosidade vai com a obra, as muitas fotografias e documentos para a gráfica amanhã. Ou seja, daqui a duas semanas, o mais tardar, temos livro novo na mão.



O marcador. 


sábado, 15 de agosto de 2015

Sampaio da Nóvoa ao Expresso

As eleições presidenciais ainda vêm longe (primeiro teremos as legislativas) mas os candidatos já se vão mostrando, sendo que alguns já se chegaram à frente. Destes, o Prof. Sampaio da Nóvoa emerge de uma neblina, de que apenas o meio académico estava arredado, tendo em conta a sua carreira de professor universitário, reitor da Universidade de Lisboa, e nesta qualidade, responsável pela fusão desta Universidade com a Universidade Técnica de Lisboa. Os portugueses só agora o começam a conhecer. A entrevista que dele hoje saiu no Expresso, é um óptimo instrumento para ajudar a cumprir esse desiderato. Dela, retirei a ideia de que estamos perante um homem de liberdade, com um ADN vincadamente democrata; um amigo da estabilidade e um construtor de pontes entre os portugueses, não de muros. Tudo quanto Portugal precisa em Belém.  

Registo:
«Sou contra tudo o que ponha em causa o contrato com os cidadãos. Não pode haver contratos a valer mais do que outros. Os contratos de pagamento da dívida têm de ser honrados, como têm de ser honrados os dos pensionistas. Falamos muito do BCE, mas o BCE também tem obrigações de coesão social, de manutenção do modelo social europeu! (…) Não há umas alíneas que valem muito e outras que não valem nada…»
«É muito fácil saber onde estou, porque estarei sempre do lado da liberdade.»

Tudo quanto Portugal precisa em Belém.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Vítor Alves, o Homem, o Militar, o Político

Vítor Alves, o Homem, o  Militar, o Político, a primeira biografia daquele que muitos consideram o homem mais importante do 25 de Abril, está pronto e entregue ao editor. O prefácio (e que prefácio...) é da responsabilidade do senhor General Ramalho Eanes e a capa está quase pronta e a ficar belíssima.
Pudemos contar com apoios à edição de várias entidades, que mais tarde divulgarei - não o faço agora porque aguardamos ainda algumas confirmações.

Trata-se do resultado de 5 anos de trabalho, com investigação em arquivos pessoais (desde logo o do próprio VA) e institucionais, como a Torre do Tombo, o Arquivo Geral do Exército, entre outros. Pude contar com o apoio da família, principalmente da  viúva, Teresa Alves, com quem, desde o primeiro contacto, foi possível estabelecer uma relação amistosa, que muito ajudou no bom desenvolvimento do trabalho. Trabalho que teve por base, igualmente, cerca de três dezenas de entrevistas a amigos, camaradas, familiares e colaboradores de VA, que permitiram fazer emergir ou aclarar alguns pormenores que a História não revelara de forma cabal até agora.
A história de vida de Vítor Alves contada com palavras, em cerca de 500 páginas, é confirmada ou reforçada por um conjunto de fotografias e cópias de documentos inéditos apostos em 64 páginas.
A primeira apresentação da obra está marcada para 30 de Setembro, na biblioteca do Convento de Mafra, terra onde VA nasceu 80 anos antes, que se completarão exactamente nesse dia; a segunda apresentação será no dia seguinte, 1 de Outubro e terá lugar na Sala Portugal, o salão nobre da Sociedade de Geografia de Lisboa, de que VA era sócio honorário.
Os dados estão lançados. Basta aguardar.