sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

2016 em resumo artístico

Aqui vos deixo uma bela obra de Vasco Gargalo, que tão boa conta dá dos principais acontecimentos do ano que hoje termina.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

E agora, António? - Parte II

E agora, António?

«No primeiro dia do novo ano, António Guterres ocupará o cargo de secretário-geral da Organização das Nações Unidas. Fá-lo quando há muito se vai disseminando a ideia de que a ONU se encontra desajustada ao tempo que vivemos. Alguns analistas alertam mesmo para os riscos de implosão do organismo, e para os perigos inerentes a uma situação de vazio mundial no que toca ao palco onde se cuida do concerto das nações.» 

Assim começa a minha mais recente crónica para o Jornal Tornado e para o Lusitano de Zurique. 

É clicar, é clicar!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Mapa dos atentados do extremismo islâmico na Europa



Espero muito francamente que para o ano, por esta altura, o mapa que apresento se mantenha rigorosamente assim. Seria um óptimo sinal, mas reconheço que o desejo parte de um optimismo a roçar a fé.

sábado, 10 de dezembro de 2016

Patti Smith - A Hard Rain's A-Gonna Fall (ceremonia Nobel 2016)


A superstar Patti Smith afinal é feita de carne, ossos, pele, nervos e muito, muito talento. Mas acima de tudo é um grande, grande ser humano. Apetece cantar com ela para nunca, mas nunca se sentir sozinha. Maravilhosa Patti, se todos fossem como tu, seres humanos maravilhosos…




quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

A técnica do escritor em treze teses


Que não seja por isso e venha de lá esse sempre adiado romance... aqui vai, via SIBILA - Revista de poesia e crítica literária

A técnica do escritor em treze teses


  1. Quem se propõe a escrever uma obra de grande envergadura deve ser indulgente consigo mesmo e, ao terminar sua tarefa diária, deve se conceder tudo aquilo que não prejudique a continuidade da mesma.
  2. Fale sobre o já realizado, de todas as maneiras, mas não leia nenhuma passagem a ninguém do trabalho em progresso. Qualquer gratificação que você obtenha dessa forma irá retardar o seu tempo. Se seguir o conselho, o desejo crescente de comunicação tornar-se-á, ao cabo, um motor para a conclusão do trabalho.
  3. Nas suas condições de trabalho, evite qualquer tipo de mediocridade cotidiana. O estado de semirrelaxamento, com o fundo de sons triviais, é algo degradante. Ao contrário, o acompanhamento de uma peça musical ou mesmo um murmúrio de vozes pode tornar-se tão importante para o trabalho como o silêncio da noite. Se este afia o ouvido interior, aquela age como pedra de toque para uma dicção ampla o suficiente para enterrar em si mesma qualquer ruído, mesmo o mais excêntrico.
  4. Evite utilizar materiais escolhidos ao acaso para escrever. O apego pedante a certo tipo de papel, caneta, tinta é benéfico. Sem luxos, certa abundância desses objetos é imprescindível.
  5. Não deixe nenhum pensamento passar desapercebido. Mantenha seu caderno de notas tão rigorosamente quanto as autoridades guardam seus registros de estrangeiros.
  6. Deixe sua pena longe da inspiração, que passará, então, a atrair com força magnética. Quanto mais circunspecto você for, ao anotar uma ideia, tanto mais madura e plenamente ela se entregará. A palavra conquista o pensamento, mas a escritura o domina.
  7. Nunca pare de escrever por esgotamento de ideias (quando nada mais lhe ocorre). A honra literária exige que se pare apenas quando se tenha que respeitar algum compromisso previamente marcado ou algum prazo (um jantar, um encontro), ou  o fim do trabalho.
  8. Preencha as lacunas da inspiração passando a limpo cuidadosamente o que já tiver sido escrito. A intuição despertará no processo.
  9. Nulla dies sine linea [Nenhum dia sem uma linha] – mas semanas, sim.
  10. Não considere acabado nenhum trabalho sobre o qual você não se tenha detido alguma vez da noite até a manhã seguinte.
  11. Não escreva a conclusão de sua obra no lugar em que habitualmente trabalha. Não encontrará lá a coragem para fazê-lo.
  12. As etapas da composição: ideias – estilo – escritura. A vantagem de passar a limpo é que, ao fazê-lo, você fixa a atenção apenas na forma da escritura. A ideia mata a inspiração, o estilo acorrenta a ideia, a escritura remunera o estilo.
  13. O trabalho é a máscara mortuária de sua concepção.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Fascismos e Estado Novo, pelo professor Fernando Rosas



Fascismos e Estado Novo, pelo professor Fernando Rosas - aula para alunos da Escola Secundária Camões, Fevereiro de 2016. Muito interessante, um óptimo contributo para o conhecimento da nossa História comum e um instrumento que nos ajuda a traçar o paralelismo entre os anos 30 do século XX e os nossos dias.

domingo, 4 de dezembro de 2016

As nuvens negras que se aproximam

Não me espanta os quase 54% de votos que um ecologista conseguiu obter na Áustria, preocupa-me que, nas mesmas eleições, um neofascista tenha conseguido quase 47%.
É preciso que os democratas conheçam as razões que o levaram a ascender a números de tal envergadura e combatê-las. Não sendo assim, nas próximas eleições ganha. Como alguém disse e com inteira razão, para que o mal triunfe, basta que o bem se aquiete.


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Carlos Ademar apresenta VÍTOR ALVES: O Homem, o Militar, o Político na ...


Entrevista a Henrique Garcia para o TVI 24 em Setembro de 2015

Vítor Alves, o Homem, o Militar, o Político, vai a Gouveia


Vamos estar em Gouveia no próximo dia 10 de Dezembro a apresentar a biografia de Vitor Alves. Falaremos do homem, do seu tempo, mas principalmente da sua influência para alterar o tempo que permitiu, entre muitas outras coisas, o Poder Local Democrático cujos 40 anos sobre as primeiras Eleições Autárquicas se comemoram, evento que serve de pretexto para esta apresentação.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

"Humanos" - uma série magnífica sobre o Homem

Foi uma enorme e maravilhosa surpresa esta série que o Canal 1 da RTP passou durante três semanas. Uma delícia para os sentidos. Uma fotografia estupenda e declarações tão genuínas que nos tocam e chegam à molécula menos sensível. Quem somos? Donde vimos? Para onde vamos? É talvez o melhor espelho que vi sobre a Humanidade.

Quem estiver interessado, aqui está o link da página do blogue do nosso amigo Venerando Matos, onde se podem ver os três episódios da série. Um abraço ao Venerando pela gentiliza da partilha.

spref=fbhttp://venerandomatos.blogspot.pt/2016/11/yann-arthus-bertrand-o-fotografo-da.html?spref=fb