Primavera Adiada em Tavira

Em dia de tempestade, a velha ponte romana de Tavira continuou a dar prova de resistência, deixando bem clara a mensagem de que podem vir mais dois mil anos e outros tantos. O rio ia cheio - havia transbordado naquela manhã do dia 18 - e a água barrenta como nunca a vira. O leito ficou um pouco mais cavado nas encostas das serras algarvias e a Ria Formosa um pouco mais assoreada.
 
Enquanto em Dublin o F.C. do Porto e o Sporting de Braga disputavam a final da Liga Europa, no Clube de Tavira, prestigiada colectividade de cultura e recreio daquela cidade, juntavam-se algumas dezenas de pessoas para assistirem ao lançamento algarvio de Primavera Adiada.
Na mesa, da esquerda para a direita, o presidente da Assembleia Municipal, em representação da edilidade local, depois este vosso amigo, ao centro Rui Machado, presidente do Cube Rotary de Tavira, a Dra. Ana Matias, coordenadora da Biblioteca da Escola Secundária e convidada para fazer a apresentação da obra e, finalmente, o grande responsável por tudo isto, Abílio Lopes, secretário do mesmo clube.
A Dra. Ana Matias, que fez uma excelente apresentação, demonstrando ter feito o trabalho de casa com muita competência, o que poucas vezes acontece, diga-se, na parte final da sua prestação leu um excerto da obra por si seleccionado, para deleite do autor. 
Como habitualmente, o evento terminou com uma sessão de autógrafos.

Mensagens populares deste blogue

Na Vertigem da Traição IV