A palavra aos leitores - Na Vertigem da Traição


Paulo Jacinto‎ para Carlos Ademar no Facebook
«Terminei agora de ler "Na Vertigem da Traição"
Enquanto modesto leitor gostaria de deixar duas notas: A primeira, para dizer que como romance fiquei "agarrado" ao desenrolar dos acontecimentos como os bons livros nos proporcionam. A segunda, para agradecer o seu contributo na desmontagem de um facto da nossa história que manchou o bom nome de um cidadão, e causou por certo os mais diversos prejuízos aos seus familiares, que deu o seu melhor para o bem estar da comunidade. Sendo certo que não terá tido acesso a muito do que terá sido o percurso de Manuel Domingues, o que fica escrito, é suficiente para perceber as motivações e a grandeza daquele homem na luta política da época em defesa dos oprimidos. Enquanto cidadão empenhado cívica e politicamente, não podia deixar de lhe fazer chegar esta minha opinião.
O meu obrigado.»


Seguiu-se uma curta troca de palavras, que aqui vos deixo:




Carlos Ademar Obrigado, Paulo Jacinto. É dever de quem publica não ficar nas meias-tintas e tudo fazer para que não haja nomes apagados na história. As pessoas fizeram algo por nós, temos a obrigação de tudo fazer para que os nomes apagados sejam reavivados como forma de agradecimento, mas também para repormos a verdade e, dentro das possibilidades, fazer a justiça possível. É nossa obrigação. Obrigado pelas suas palavras. Um abraço.

Paulo Jacinto Carlos Ademar o que mais senti no seu livro foi o sentimento de justiça que ele emana, o seu empenho e a forma generosa que nele se percebe. Enquanto cidadão cívica e politicamente empenhado fico-lhe sinceramente grato pelo trabalho realizado e pelo resultado alcançadoUm abraço.

Carlos Ademar Sinto o que fiz como um dever. Dizendo isto, digo tudo. Obrigado, Paulo. Um abraço.

Mensagens populares deste blogue

Na Vertigem da Traição IV