Maria Keil - a obra é a imortalidade do artista



O que torna os artistas diferentes dos homens comuns é a obra, que os torna imortais. Os azulejos de cima fazem parte de uma colecção que a CGD editou há uns anos. Obras concebidas propositadamente para a iniciativa, da autoria de artistas portugueses contemporâneos. No painel faltam alguns que ofereci às minhas filhas e um outro da autoria de Paula Rego que, pelo formato, era impossível encaixá-lo de forma harmónica. Ao centro e em destaque na primeira fotografia, o peixe de Maria Keil, que hoje nos deixou.
Estive com ela há pouco mais de uma semana (a 3ª fotografia) aquando da entrega dos prémios anuais do Projecto SOS Azulejo, em que a Maria Keil foi galardoada com o prémio «Carreira». O artista parte, a obra imortaliza-o.  


Mensagens populares deste blogue

Na Vertigem da Traição IV