Claque de Autores - Pequena Entrevista

Claque de Autores é uma página do Facebook que pretende dar a conhecer o que vai acontecendo no campo das artes e letras em Portugal. A pedido de uma das responsáveis, a Maria João Freire de Andrade, dei-lhes uma pequena entrevista que agora transponho para aqui.

- Pode falar-nos um pouco do seu próximo, ou mais recente, trabalho?

R. - Prefiro falar do último. Chama-se "Primavera Adiada" e aborda o tempo do marcelismo até ao 25 de Abril. A trama vai desenrolar-se através das vivências, dos amores e desamores, de uma jovem alentejana que vem para Lisboa estudar em 1968. Atravessa todo aquele tempo e vai lidar com pessoas que de uma forma ou de outra estão ligadas ao que de mais importante, pela negativa ou pela positiva, se passou neste país.

- Quando irá sair, ou quando saiu?
R. - Saiu em Janeiro deste ano (2010).

- O que é ser-se autor em Portugal?
R. - É essencialmente paixão, porque sem ela não se era autor.
- Qual a sua opinião de um grupo como a Claque dos Autores que se dedica, exclusiva e diariamente, a todas as áreas da Cultura Portuguesa, através do Facebook?
R. - Tudo o que se faça para divulgar as artes, os artistas, a criação e os criadores nunca é de mais. Por isso estão de parabéns pela iniciativa e, tendo em consideração o deserto que aí abunda neste sector, diria que trabalho não lhes vai faltar. Há muito campo para lavrar.
Diga a primeira coisa que lhe vier à cabeça:
- Monumento português
R. - Toda a vila de Sintra e a sua envolvência natural formam um monumento inigualável.

- Figura histórica portuguesa
R. - D. João II

- Portugal no Mundo
R. - Miscigenação

- Autor/obra portuguesa que mais o marcou (livro, quadro, música, etc.)
R. - Só um é difícil. A Peregrinação na literatura; os Painéis de S. Vicente, na pintura; a Custódia de Belém na ourivesaria; a porta Sul, o claustro e a cúpula dos Jerónimos, na arquitectura.

- Prato português
R. - Perceves para abrir as hostilidades, seguindo-se uma dourada do mar grelhada. O Bucelas frio faz uma quente companhia a tudo isto.

- Pode fazer-nos uma mini-biografia: quando e onde nasceu, as suas obras publicadas, alguma mensagem que nos queira deixar. O que nos quiser contar.
R. - Nasci em 1960 em Vinhais, Bragança. Entre 2005 e 2010 publiquei cinco livros todos sob a chancela da Oficina do Livro, com os seguintes títulos: "O Caso da Rua Direita"; "O Homem da Carbonária"; "Estranha Forma de Vida"; "Memórias de um Assassino Romântico" e "Primavera Adiada". Participo habitualmente como escritor convidado em cursos de escrita criativa. Juntamente com um realizador estamos a trabalhar na adaptação cinematográfica de Estranha Forma de Vida.
Resta-me agradecer a entrevista e desejar-lhes muitas felicidades para esta tarefa que tomaram em mãos, a de divulgar e promover o que vai acontecendo no campo da criatividade em Portugal.
Um beijo às autoras. 

Mensagens populares deste blogue

Na Vertigem da Traição IV