A austeridade já chegou à Madeira

Na Madeira, a austeridade já começou. Segundo o Expresso de hoje, uma escola deixou de fornecer almoços porque não tem dinheiro para pagar o gás e já fecharam alguns centros de saúde à noite para poupar na despesa. Enquanto alunos e doentes pagam a crise, os subsídios para os partidos não sofreram qualquer redução (5 milhões por ano) e o dinheiro que é de todos continua a entrar no pasquim do Jardim, o Jornal da Madeira (4 milhões por ano).
Também ali, a crise é só para alguns, os do costume. São mais e já estão habituados.

Mensagens populares deste blogue

Na Vertigem da Traição IV