Homem morto trabalha durante uma semana (Notícia do New York Times, garantem-me)

Os gerentes de uma editora estão a tentar descobrir (e nós também) porque é que ninguém notou que um dos seus empregados estava morto, sentado à sua secretária havia cinco dias.
George Turklebaum, 51 anos, que trabalhava como revisor de texto numa firma de Nova Iorque há 30 anos, sofreu um ataque cardíaco no open space onde trabalhava com outros 23 funcionários. Morreu tranquilamente (só pode, demais até) na segunda-feira, mas ninguém notou até que no sábado seguinte pela manhã, um funcionário da limpeza o questionou, porque estava a trabalhar sendo fim-de-semana (a falta de resposta fê-lo desconfiar).
O seu chefe, Elliot Wachiaski, disse:
- O George era sempre o primeiro a chegar e o último a sair (mas ninguém achou estranho que ele estivesse na mesma posição e não dissesse nada?). Ele estava sempre envolvido no trabalho e fazia-o muito sozinho (muito mesmo).
Uma questão:
- que raio de trabalho seria o dele que ninguém o solicitava?
... e um desabafo interrogado:
- que porra de vida triste seria aquela?!
Possivel resposta ao desabafo interrogado:
- Era só mais uma.

SUGESTÃO:
De vez em quando acene aos seus colegas de trabalho.
Certifique-se de que eles estão vivos e mostre que você também está, sorrindo, sei lá!

Mensagens populares deste blogue

Na Vertigem da Traição IV