DOAÇÃO DO ESPÓLIO DE CARLOS DE OLIVEIRA AO MUSEU DO NEO-REALISMO

No próximo sábado, dia 11 de fevereiro, pelas 16h00, o Museu do Neo-Realismo “recebe” o espólio do escritor Carlos de Oliveira, numa cerimónia que terá lugar no seu Auditório e que contará com as presenças da mulher do autor de (entre outros) “Uma Abelha na Chuva”, Ângela de Oliveira e do professor universitário, ensaísta e crítico literário, Osvaldo Manuel Silvestre.
O espólio de Carlos de Oliveira, um dos maiores espólios do significativo acervo do Centro de Documentação do MNR, é constituído por cerca de 9000 documentos, sendo de destacar a vertente “Correspondência”, com aproximadamente 1500 documentos.
Nascido em Belém do Pará, a 10 de agosto de 1921 e falecido em Lisboa, a 01 de julho de 1981, Carlos de Oliveira estudou em Coimbra, onde teve oportunidade de conhecer e estabelecer laços de amizade com autores neorrealistas, como Joaquim Namorado, João José Cochofel e Fernando Namora.
O seu primeiro livro de poemas, Turismo (1942), com ilustrações de Fernando Namora, integra a coleção de poesia em 10 volumes, Novo Cancioneiro (cuja edição fac-similada, a cargo da editora Althum, foi apresentada no MNR em 2010), coleção cuja edição constitui um marco importante na história do movimento neorrealista.
O primeiro romance de Carlos de Oliveira, Casa na Duna, data de 1943 e de 1953 Uma Abelha na Chuva, considerado um dos expoentes da literatura portuguesa do séc. XX. Em 1978, Finisterra, o último romance do autor, retorna à sua Gândara, como se de um fim de ciclo se tratasse.

(Extraído do boletim da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira)

Mensagens populares deste blogue

Memórias do Exílio - Livro

Na Vertigem da Traição IV