DOAÇÃO DO ESPÓLIO DE CARLOS DE OLIVEIRA AO MUSEU DO NEO-REALISMO

No próximo sábado, dia 11 de fevereiro, pelas 16h00, o Museu do Neo-Realismo “recebe” o espólio do escritor Carlos de Oliveira, numa cerimónia que terá lugar no seu Auditório e que contará com as presenças da mulher do autor de (entre outros) “Uma Abelha na Chuva”, Ângela de Oliveira e do professor universitário, ensaísta e crítico literário, Osvaldo Manuel Silvestre.
O espólio de Carlos de Oliveira, um dos maiores espólios do significativo acervo do Centro de Documentação do MNR, é constituído por cerca de 9000 documentos, sendo de destacar a vertente “Correspondência”, com aproximadamente 1500 documentos.
Nascido em Belém do Pará, a 10 de agosto de 1921 e falecido em Lisboa, a 01 de julho de 1981, Carlos de Oliveira estudou em Coimbra, onde teve oportunidade de conhecer e estabelecer laços de amizade com autores neorrealistas, como Joaquim Namorado, João José Cochofel e Fernando Namora.
O seu primeiro livro de poemas, Turismo (1942), com ilustrações de Fernando Namora, integra a coleção de poesia em 10 volumes, Novo Cancioneiro (cuja edição fac-similada, a cargo da editora Althum, foi apresentada no MNR em 2010), coleção cuja edição constitui um marco importante na história do movimento neorrealista.
O primeiro romance de Carlos de Oliveira, Casa na Duna, data de 1943 e de 1953 Uma Abelha na Chuva, considerado um dos expoentes da literatura portuguesa do séc. XX. Em 1978, Finisterra, o último romance do autor, retorna à sua Gândara, como se de um fim de ciclo se tratasse.

(Extraído do boletim da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira)

Mensagens populares deste blogue

Na Vertigem da Traição IV