Recriação em 3D da Lisboa pré-pombalina


Não tendo nascido em Lisboa, sou culturalmente lisboeta. Uma das coisas de que mais gosto é passear pelos becos e ruas da cidade antiga, ver os edifícios e monumentos, entrar nas tascas beber um copo e ficar por ali um pedaço a conversar ou simplesmente a dar atenção aos pormenores.

Já me cruzei com este vídeo mais do que uma vez, mas nunca o tinha visto. A porcaria da urgência mata-nos. Tenho pena que seja tão curto e que as coisas passem tão depressa, mas está muito interessante – o Museu da Cidade há-de ter mais.

Lisboa está sempre presente nos meus livros. Pudera. No disco do computador resiste um projecto que tem vindo a ser adiado há anos, cuja trama decorre precisamente nas vésperas do grande terramoto. Termina, aliás, com os ruídos que vêm de dentro da terra e com a queda dos telhados e paredes do Hospital de Todos os Santos, onde reside o meu protagonista.

Fica para a reforma, quando vier e se vier. Ou talvez não.

Mensagens populares deste blogue

Na Vertigem da Traição IV