Indignai-vos! diz Stéphane Hessel

Um pequeno, mas interessante texto de Stéphane Hessel, que contava 93 anos quando o escreveu, o que por si só é um facto assinalável, tendo em conta a sua qualidade e oportunidade. O autor, além da provecta idade, tem um lastro de vida gerado pela grande intensidade com que foi vivida. Nascido na Alemanha, foi viver para França ainda nos anos vinte. Quando as forças de Hitler chegaram a Paris, Hessel entrou na clandestinidade e fugiu para Londres, ficando às ordens do general De Gaulle. Já nos últimos anos de guerra, entrou em França, para integrar a Resistência, acabando preso pelos nazis e condenado à morte. Na véspera da execução da pena, conseguiu trocar a sua identificação com a de um francês que entretanto morrera de tifo. Pouco depois seria transferido para um outro campo de concentração, de onde viria a fugir.
No fim da guerra, integrou o corpo diplomático francês, ocupando um cargo nas Nações Unidas, o que lhe permitiu colaborar na elaboração da Declaração Universal dos Direitos do Homem.
É este adepto da não-violência que nos deixa um testemunho vivo e muito lúcido sobre um pouco da vida da Europa na segunda metade do Século XX, não hesitando em recomendar que nunca pactuemos com o que, ainda que superiormente emanado, fira os valores ou os princípios em que firmemente acreditamos. «Indignai-vos! recomenda. Não foi por acaso que em apenas 4 meses este pequeno livro vendeu 1.300.000 exemplares em França. Por mim, recomendo a sua leitura. 

Mensagens populares deste blogue

Na Vertigem da Traição IV